Translate

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

RAMALHETE COLORIDO




" É este ramalhete todo colorido,
  que te ofereço todo decidido,
  para você ter um Ano bem sucedido,
  e ser feliz, porque tu es merecido,
  e não se importe por eu estar comovido,
  apesar de meu coração deprimido, 
  porque afinal não sei, se este meu ato ousado,
  sera por você acolhido. "

Marco A. Tisi

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

AURORA FACEIRA



AURORA FACEIRA

Já era umas seis da manhã,
e olhei pela janela e lá estava ela,
a Aurora Faceira toda colorida,
toda embebecida nessa manhã
que deve ser enaltecida.

Aurora Faceira que tem trilha sonora,
de Bem – Te – Vis e Colibris,
que sempre vem anunciar,
mais um novo dia aqui,
novo dia que espero sempre
seja menos triste,
e para isto preciso comprar
alpiste,
para presentar os meus
queridos pássaros,
que sempre estou a ouviste.

É nessa Aurora Faceira,
alegria do alvorecer,
que mais um dia se desponta,
e não é nenhuma afronta,
pelo contrario é o que nos leva
em conta.

Aurora Faceira, que enche de esperança,
para um dia melhor, com muita confiança,
sem que haja nenhum tipo de vingança,
e ao olhar e ouvir os pássaros em sua dança,
para ter as melhores lembranças,
e vem chegando o momento de grande mudança.

E nessa Aurora Faceira, que vem como uma costureira,
remendar o coração dilacerado,
e tratar do estado de espirito que esta desatinado.

Como é bom, poder acordar logo cedo,
e da janela ver a Aurora Faceira,
toda colorida e com trilha sonora
da passarinhada, que é um misto
de canto e gargalhada.

M . A. Tisi
( 19/12/2012 )

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

UM ANO QUE SE PASSOU



UM ANO QUE SE PASSOU

O ano passou,
um ano que se passou,
e o tempo pra mim parou,
tudo ficou diferente,
não tem mais nada urgente,
agora tudo é indiferente.

O tempo esta muito cruel,
tem dias que é puro fel,
parece até que não existe o mel.

Acho que todo esse sentir de amargura,
seja minha maior agrura,
desse Amor que sinto por você,
que nem imagino como esta
o teu viver.

Agora vem um novo ano,
que tratarei para ter mais animo,
pra seguir ainda que triste,
daquilo que não mais existe e nem existirá,
mas enfim, ainda tenho em meu coração,
o balsamo para te sonhar,
porque, nesse mesmo coração,
o que mais tenho é o querer te Amar.

M . A. Tisi

( 18/12/2012 )

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

NÃO ACONTECIDO



NÃO ACONTECIDO

Era numa penumbra tão magica,
que de longe se ouvi a musica,
musica tão dançante,
naquele salão de baile deslumbrante.

Era com você toda de vermelho,
vermelho deslumbrante,
que combinava com seu sorriso cativante,
que te tirei para não dançar
a musica que tocava tão distante.

Era o baile tão esperado,
e eu estava por ti tão admitido,
crente que ali nos iriamos bailar,
sobre a luz do Luar,
as musicas que nos faria
para sempre lembrar.

Mas esse baile imaginário,
que só podia vir de mim,
um eterno visionário,
capaz de dançar com você,
sobre o som de um canário.

Mas no fim, ti tirei para dançar,
uma valsa de Strauss,
começou com o Danúbio Azul,
depois a Arte da vida,
e então a Valsa do Delírio,
para finalizar com o Sangue Vienense,
brindando com uma champanhe parisiense.

Era um baile tão digino,
um baile tão lindo,
onde eu te tirei para não dançar,
porque esse é mais um sonho,
não acontecido,
por mais que por mim
tenha pretendido.

Mas aqui de vez em sempre,
no meu imaginário doído,
você de vermelho vestido,
danço com você no baile,
não acontecido.

M . A. Tisi
( 13/12/2012 )

domingo, 9 de dezembro de 2012

RECICLAGEM


RECICLAGEM

Era um vidro de azeitona,
outro vidrinho de alcaparra,
tinha até um vidro de Nescafé,
tenha embalagem de chocolate em pó,
tinha caixinhas e também latinhas
com tampas bem bonitinhas.

E separava todas elas, para levar
para a Dileta Artesã tão bela,
guardar nas embalagens,
suas miçangas que ficavam
em sua cidadela.

Mas agora, não levo mais as embalagens,
para a Dileta Artesã, mas eu ainda separo
todas essas embalagens, mas tão somente
para reciclagem.

Reciclagem que a gente tem que fazer na vida,
pois nada mais é perene, tudo é transitório,
inclusive e principalmente a Relação.

E nessa Reciclagem que se faz por consciência
ecológica, por se pensar no melhor para todos,
chega – se a conclusão que por mais que seja doído,
necessário é Reciclar também a vida,
mesmo que isso lhe cause tremenda ferida.

Mas no fundo o fato de separar embalagens
para a Artesã Meiga e Bela,
era um modo de adocicar a relação,
era um acarinhamento de preocupação,
mas não tinha a ilusão que aliada a isso,
o meu jeito de ser cordato e gentil,
carinhoso e afetuoso, participativo
e companheiro, fiel e dedicado,
pudesse imaginar a que o nossa relação,
seria para sempre em ebulição.

Reciclagem da vida,
Reciclagem de tudo,
e criar em volta do coração,
para evitar dor e sangria,
um grande e firme escudo.

M . A. Tisi
(09/12/2012 )

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

TREM ONÍRICO


TREM ONÍRICO

Tava na sala ouvindo Mozart,
tocar sua “ Flauta Magica “,
quando estacionou do lado de la
da sacada, o Trem Onírico.

O maquinista me convidou,
para num sonho passear,
não tive como negar.

Entrei no vagão diferente,
tava cheio de gente,
gente com semblante agre – doce,
gente que sonha,
e como sonha, as vezes
é triste ou doce.

Trem Onírico,
que não usa trilhos,
que não usa carvão,
para poder andar,
usa os sonhos de seus ocupantes,
que é o combustível
naquele instante.

Não, não vou falar do sonho
de cada um, porque as vezes
ou na maioria das vezes,
são sonhos cheios de segredos,
e revela – los traz medos.

Mas como é bom viajar
no Trem Onírico,
que nos leva aos sonhos
tão líricos.

Gostei muito de viajar
ao som de Mozart,
no Trem Onírico,
da impressão que é possível
o sonho palpar.

M . A. Tisi

( 05/12/2012 )

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

CHUVA RITMADA


CHUVA RITMADA


Ela vem de mansinho,
bem devagarinho,
gotejando na janela,
o ritmo que é só dela.

Chuva bem gostosa,
chuva harmoniosa,
que do nada,
acompanhada do vento uivante,
com seu som dissonante,
deu mais volume a chuva ritmada.

Eis que vem os raios,
com seus clarões espocados,
acrecidos dos trovões sincopados.

E nessa chuva ritmada,
me fez viajar para o dia,
em que com você dancei,
na sua sala.
Numa tarde de domingo ensolarada,
uma canção do “ Belchior “,
que foi a minha dança melhor.

Como é bom a chuva ritmada,
que me leva pro sonho acordado,
aquilo que tenho por demais Amado.

M . A. TISI

( 03/12/2012 )


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

CHÁ DE CAMOMILA


CHÁ DE CAMOMILA

Ha tempos que ela não vinha,
mas sabia que ela ainda é
companheira minha,
é a insonia que já não
me faz picuinha.

Mas já que ela veio me visitar.
Nada como um Chá de Camomila,
pra com ela compartilhar.

É, acho que é a época natalina,
que já se aproxima,
e então cria – se esse clima.

Ou na verdade, é a realidade
do meu sentimento de Saudade,
que as vezes me causa una certa
causticidade, porque afinal,
entre nós dois não ficou nem
a menor amizade.

Insonia, que tinha sumido por um tempo,
do nada aparece para causar esse contratempo,
então fiz o Chá de Camomila,
pra pensar sobre tudo e passar o tempo.

È assim que é, e ao acontecer essa situação,
sou o melhor anfitrião da insonia,
e ai penso que queria te oferecer
uma colorida begônia,
com muita cerimonia e parcimônia.

Mas nada disso ira acontecer,
é só mais um sonho acordado,
na insonia que curto com
chá de camomila,
enquanto transbordo minha pupila.

M . A. Tisi

( 28/11/2012 )




sexta-feira, 23 de novembro de 2012

CAPIM - DOURADO



CAPIM – DOURADO

Fui lá pro Cerrado,
em busca do Capim – Dorado,
pra fazer um entrelaçado,
que vai sair uns bichos
todos engraçados.

Destes bichos, eu fiz,
uma Coruja- Buraqueira,
um Tamanduá – Bandeira,
um Lobo – Guara
e até uma Siriema.

Entrelacei da melhor maneira,
e pus eles todos na soleira,
e cochilei no balanço da cadeira,
porque afinal, era Lua Cheia.

E por ser Lua Cheia,
no lumiar da candeia,
todos bichos que fiz,
de Capim – Dourado,
se transformou em vida,
afinal de um a forma
tão querida.

Mas mais do que vida,
os bichos me olharam
em despedida,
e num voo alado,
com meu coração apertado,
foram desbravar o Cerrado.

E naquela Lua toda cheia,
que iluminou toda a aldeia,
vendo a bicharada que fiz,
voando pelo Cerrado,
a caminho do Luar,
e eu me lembrando,
de quem não deixo
de Amar.

M . A. Tisi

(23/11/2012 )

sábado, 17 de novembro de 2012

PEDRA - SABÃO


PEDRA - SABÃO

Estava andando lá pelo rincão,
quando encontrei uma Pedra - Sabão,
ah, mais uma ilusão, mas não é não,
é só mais um pouco de minha emoção,
que me da tanta imaginação.

E andando pelo rincão,
com a Pedra - Sabão,
do nada apareceu um formão,
na minha mão.

Mas eu não sou nem artesão,
e na Pedra - sabão, com o formão,
esculpi um coração,
coração de Pedra - Sabão.

Mas ai, não foi ilusão,
e o coração de Pedra - Sabão,
ficou de uma vermelhidão,
latejando com muita emoção,
o meu Amor por ela,
que para sempre sera ,
minha maior recordação.

Não sou artesão,
só na minha imaginação,
eu sou um cortesão,
cortesão da palavra,
que na minha Poesia,
por pra fora minha sofreguidão,
buscando a compreensão,
dessa profusão,
de tanta emoção.

Coração de Pedra- Sabão,
esculpido com emoção,
que se tornou vermelhidão,
de pulsação acelerada,
da saudade desenfreada,
desse meu Amor,
que foi pra sempre desconsiderado.

M . A. Tisi

( 17/11/2012 )



segunda-feira, 12 de novembro de 2012

REMANSO


REMANSO

É lá na lagoa calma e tranquila,
de águas translucidas,
habitada por peixes lindos
e botos bonitos,
que remo no remanso do descanso.

É uma lagoa como nenhuma outra,
lá tem harmonia, tem pureza,
tem calmaria, não há luxuria,
tem consonância dos pássaros
em revoada sincronizada,
tem o ecoar do vento entre as arvores
que formam um degradê lindo
no contorno da lagoa do remanso.

É a lagoa onde remo só,
na minha melhor solidão,
que apesar do que possa parecer,
para mim é o meu prazer.

É lá que na minha solidão,
estou livre daquilo que é enganoso,
que é corrosivo, que é venenoso,
porque é falso e dissimulado,
é a revelação do mal,
onde nunca vi nada igual.

É bom remar no remanso
da lagoa tranquila,
lagoa triste e saudosa,
da ilusão que tive,
da minha luta inglória,
de um Amor sincero,
que me dediquei
com muito esmero.

Mas na realidade,
essa remanso da lagoa
com suavidade,
é enfim a tranquilidade,
da alma que esta em saciedade,
daquilo que tenho como verdade.

M . A. Tisi

( 12/11/2012 )

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

TAL QUAL O " TALIBÃ "


TAL QUAL O “ TALIBÃ “

Recentemente a menina Paquistanesa M ALALA YOUSAFSAI, de 14 anos, foi ferida na cabeça por um tiro desferido por talibãs, em represália a sua luta em que as meninas paquistanesas e dos demais países islâmicos tenham o direito de estudar, o que é inconcebível para o “ talibã “, face o modo como eles veem as mulheres naquela sociedade teocrática e extremamente machista.
MALALA foi removida para a Londres, foi operada e passa bem, e a sua vontade é tão logo se recupere, prosseguir na sua luta para que as meninas possam ter o mesmo direito dos meninos e poderem estudar.

Agora, vindo aqui para o Brasil, o que temos ???, primeiro a luta de ISADORA FABER, menina de 13 anos que resolveu fazer uma comunidade no FACEBOOK, chamada DIÁRIO DE CLASSE, onde ela relata e denuncia tudo que acontece na escola publica que ela estuda em Florianópolis /Sc, o que além de ser uma baita de uma coragem dela, acima de tudo ela esta exercendo seu direito de cidadã, em além de mostrar, exigir providencias, para que a escola sempre melhore em todo os sentidos, e qual o resultado disso ??? ISADORA , já enfrentou queixa de uma professora na delegacia, sofre todo tipo de provocação e ameaças de alunos dentro e fora da escola, sendo que numa ultima ocorrência que ela expôs na sua pagina, onde um pai de uma aluna recebeu adiantado da diretora para pintar a quadra de esportes e acabou não pintando, então ela quis saber se o dinheiro seria devolvido face o serviço não realizado, e ai então a coisa ficou muito ruim para o lado dela, a ponte de apedrejarem a sua casa, sendo que uma pedra atingiu o rosto de sua avó, tudo isso é relatado na sua pagina, mas ela é forte e não desiste, mas o mais incrível disso tudo é essa situação se perdurar e a Secretaria de Educação de Florianópolis, não fazer nada a respeito.

E tendo como exemplo a pagina de ISADORA FABER, tantas outros “ DIÁRIOS DE CLASSE “ tem surgido no FACEBOOK, mas teve um dos mais graves que é a da Professora UILIENE SANTA ROSA, de 24 anos, de Imperatriz, no estado do Maranhão, que foi demitida, por ter postado uma foto de alunos seus, fazendo prova com o guarda – chuva abertos na sala de aula, tendo em vista que chovia e havia tanta goteiras na classe. Conclusão, foi demitida por ter postado a foto, mas depois da repercussão da sua demissão, ela foi readmitida, mas já informou que ira processar o município pelo ocorrido, o que alias faz muito bem.

Temos agora o advento da votação da distribuição dos royalties do petróleo do pre sal, onde o governo federal quer que sua distribuição vá toda para a educação, mas na câmara já foi votado e não sera mais assim, e provavelmente muito pouco desse dinheiro ira para a Educação, claro o que é lamentável, pois com essa verba poderia já de primeiro, melhorar os salários dos professores, principalmente no ensino básico, que daria outro impulso para o desenvolvimento do pais, que é umas das maiores urgências para nosso real desenvolvimento.

Então tudo isso aqui dito, pergunto, qual a diferença entre o que o “ Talibã “ faz no Paquistão e no Afeganistão, e o que as autoridades fazem aqui no Brasil, não não sou extremado, há muito omissão, descaso, desvio de verbas, que só faz piorar a Educação no Brasil e continuar assim, nos nunca chegaremos, em matéria de Educação. aos pés do que é um Japão ou uma Coreia do Sul, onde nesse pais uma das personalidades mais respeitadas em Educação, nada mais é , se não o nosso grande PAULO FREIRE.

Se nos não nos organizarmos, fora dos partidos políticos, para que a situação da Educação no pais melhore, com esses políticos que ai estão, não chegaremos em lugar nenhum.

M . A. TISI ( 08/11/2012)

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

VOLTANDO AO NORMAL



VOLTANDO AO NORMAL

Fui pegar uma camisa,
e vi uma calça antiga,
resolvi vesti – la,
e eis que agora
ela me serve novamente.

Estou voltando ao meu normal,
mas bem diferente do que fui outrora,
há muita coisa na memória.

Aquela calça antiga,
me serve novamente,
engordei um pouco,
mas estou na duvida,
se engordei porque deixei de fumar,
ou se afinal, retornei a estar,
como sempre deveria estar.

É, sou um “ Sozinho “ e gosto assim,
mas por ser assim, houve um dedo em riste,
apesar de não vê – lo, me julgando,
por ser assim.

Sou “ Sozinho “, sou careta,
não tomo “ todas “,
não curto “ Esterco potencializado “,
meu linguajar é dos mais educados,
tenho a gentiliza como minha delicadeza,
tenho o respeito como o meu maior enlevo.

Mas esse sou eu, o eu “ Sozinho “,
cujo dedo em riste, fui acusado,
é fácil agir assim ,
quando já não se é mais necessário.

Mas, estou voltando ao normal,
mas não totalmente,
a tristeza ainda é muito presente,
mas tenho em mente,
que apesar de tudo que passei,
só eu amei, e isso só eu é que sei,
o que para sempre, é la no coração,
que a recordação sera sempre uma emoção.

M . A. Tisi
( 07/ 11/2012 )  

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

SINO DOS VENTOS



SINO DOS VENTOS

O calor esta Senegalesco,
não esta dando para respirar,
muito pelo calor que esta a estalar,
muito também pela tristeza,
que causa mal estar.

Escancaro todas as janelas,
para abrir caminho para o vento,
aliviar um pouco o respirar.

Mas tenho um Sino de Ventos,
e ao abrir caminho para o vento,
ele se põe a tilintar,
então fecho os olhos
e me ponho a sonhar e recordar,
de tudo que fiz e apesar de tudo,
como é bom Amar.

Ah, como é bom abrir os caminhos,
para o vento, para tudo, para fazer
os Sinos dos ventos tilintar.

Mas os Sinos dos Ventos,
só irão tlintar, se dentro de você,
tiver verdade, tiver sinceridade,
tiver solidariedade, tiver lealdade,
tiver bondade, tiver caridade,
tiver honestidade, tiver hombridade,
tiver respeitabilidade,
em suma tiver Amor com coragem;

Porque as vezes não adianta ter
Sinos dos Ventos em casa,
pois eles não tilintarão,
pois falta no minimo emoção,
e ai eles serão apenas uma decoração,
ou seja uma dissimulação,
pois não tocarão.

Abro os caminhos dos ventos,
abro meus caminhos pelo que sou,
para tilintar os Sinos dos Ventos,
e me levar aos melhores momentos,
e melhores pensamentos,
do Amor que tenho e por ele nunca
me contenho.

M . A. Tisi
( 01/11/2012 )    

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

FLOR DE NOVEMBRO


FLOR DE NOVEMBRO


É um jardim bem acanhado,
onde cultivo algumas flores,
que o deixam bem adornado.

Tem flores diversas,
que são aqueles entes queridos,
que já desencarnaram,
mas que em vida muito me
influenciaram.

Tem outras flores bonitas,
que são meus poucos amigos,
que eles na minha vida orbita.

Tem uma arvore frondosa,
que é um Cedro Libanês,
carinho meu todo especial
cuja semente esta lá no Parana.

Tem uma Margaridinha e um Cravinho,
é um casal de PIMPOLHOS,
inesquecíveis de tão amarosos.

Tem uma rosa bem cor de rosa,
que um dia haveremos de nos
entender.

Tem minha GIRASSOL querida,
que é essencial na minha vida .

Mas agora em novembro,
tem uma flor todo negra,
tão negra como tão rara,
nela contem minha tristeza,
minha melancolia,
minha maior desilusão,
pois enfim ela é uma
infeliz comemoração,
de um ano de sofrida
separação.

Mas no jardim bem acanhado,
não tem a flor que eu mais queria,
apesar de tanta Poesia que por ela
fiz e faria.




Essa flor na realidade, não entendi
o que de mim afinal quis,
e nos meus desenganos,
na minha luta inglória,
para querer preservar la,
na verdade dela para mim,
ela nunca existiu,
porque não havia sentimento ali,
e apesar de sua meiguice e candura,
ela é sem sentimentos,
ela é apenas uma bela dobradura.

E agora nessa flor negra de novembro,
que quase o dia inteiro ela fica orvalhada,
do rocio amargo que escorre de meus olhos,
pelas lembranças de tudo que se passou,
e na minha ingenuidade de pensar,
que aquilo tudo seria para sempre,
mas agora só fiquei demente,
pois tudo aquilo foi artificio,
para me usar afim de obter um beneficio.


Mas esse é meu jardim bem acanhado,
é meu coração que esta por demais amargurado,
e cultivo todas as flores que nele contem,
mas não tem a única flor que um dia pensei
que existia, e apesar disso, é a flor que mais queria.


M . A. Tisi

( 31/10/2012 )  

terça-feira, 23 de outubro de 2012

QUADRILHA


QUADRILHA

Que grande decepção,
aqueles que agora são “ Camarilha “
foram condenados pelo crime
de formação de “ QUADRILHA “

E pensar que parte dessa gente,
foram ícones na nossa juventude,
época em que joguei, bolinha de gude,
pra derrubar a “ Cavalaria “, na rua,
que estava a serviço da ditadura.

E também se pintou a cara,
e foi pra rua, protestar,
contra a corrupção,
que causava a sangria
da democracia.

Mas esse nosso Pais é incrível,
é o Pais dos espertos, que não medem
pra se prevalecer da situação,
e sempre tem uma “ QUADRILHA “
em formação.

Tem “ QUADRILHA “ pra tudo
quanto é gosto, pra causar sempre,
um grande desgosto.

E infelizmente, pra quem quer
ser correto, quer ser consciencioso,
pode aparecer uma ” QUADRILHA “,
e te causar um golpe monstruoso.

É muito triste que no percurso da vida,
sempre aparece uma “ QUADRILHA “
para te causar uma sangria.

Sei muito bem como funciona isso,
quando se menos se espera,
vem uma “ santíssima trindade “
que é uma “ QUADRILHA “
para te causar uma maldade.

Por isso, veja em sua volta,
se não tem uma “ QUADRILHA “
que pode te causar uma revolta.

M . A. Tisi

( 23/10/2012 )

domingo, 14 de outubro de 2012

OITENTA DIAS



OITENTA DIAS

Oitenta dias sem fumar,
mas hoje esta de amargar,
é uma angustia de pelejar,
onde parece que tudo vai parar.

Oitenta dias sem fumar,
mas eu vou me segurar,
não posso mais me apegar,
não, não posso me apegar,
a um cigarro, a um alguém qualquer,
não posso e não quero me apegar,
seja lá de onde vier,
não quero ninguém para bailar.

Oitenta dias sem fumar,
e agora minha vida, mesmo assim,
é um eterno esfumaçar,
e agora só tenho DELA,
lembranças que são meu eterno deleitar,
mas não há como suplicar,
por aquilo que nunca mais
ira se realizar.

Oitenta dias sem fumar,
na procura de algum sentido
para a vida dar,
e na minha ingenuidade,
penso que talvez se tivesse,
DELA tido a verdade,
hoje eu poderia estar mais
na docilidade.

Oitenta dias sem parar,
já chegando um ano
que tudo veio a findar,
e o tempo fez do meu
estado de espirito atemporal,
num vazio celestial.

Oitenta dias sem fumar,
tudo perdeu a razão de ser,
a razão que não veio,
que o tempo fez com minha alma,
um lugar sem esteio,
sem que eu tenha anseio.

M . A. Tisi
( 14/10/2012 )   

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

TAPETE VOADOR



TAPETE VOADOR

Era no chão da sua sala, que lá tinha um tapete de que ele gostava muito, não, não era um tapete Persa, daqueles feitos por tapeceiros artesãos do Iran, cujos fios de lã virgem com fios de seda, de multicores, são entrelaçados em milhares de nos, que demoram meses para serem concluídos e se tornam aquelas maravilhas de tapetes, esse tapete Persa, era seu sonho de consumo, mas o que ele tinha no chão da sala, era um tapete industrial Belga, imitação do Persa, em tons grená e preto, onde havia um medalhão central muito bonito.

Mas, tinha um porem, e que porem, apesar de ser um tapete simples, uma imitação até, esse tapete era magico, era voador, e por assim o ser, ele fazia maravilhosas viagens no seu tapete voador, ultimamente onde ele mais ia, era para a Lua, para de lá ficar admirando a Terra e imaginar, que em algum estava “ ELA “, linda e bela, meiga e carinhosa, sabe se lá se estava sozinha ou não mais, não, ah , nisso ele queria nem pensar, só queria imaginar, que ela existia, mas não existia para sua companhia, isso não mais, na realidade isso foi sem que nunca tenha sido, e era isso que ele tinha que saber, para nunca mais poder pelo menos ver, foi o que lhe restou a conviver.

E dito isso, ele lembrou da ultima viagem que o tapete o levou, num rasante de um deserto que era sua existência, a se deparar com um “ OASIS “ lindo e singelo, onde ele idealizou que seria sua eterna morada, pois no “ OASIS “ por uma casualidade, ele ali encontrou, “ ELA “, que iria despertar nele, aquilo mais incrível que se podia sentir, algo verdadeiro que jamais sentiu, mas que o tempo todo isso dito, não convenceu, foi desacreditado, mas o que podia fazer, era ele que isso sentia, era o AMOR que do seu coração irradia.

E desse “ OASIS “ onde estava “ ELA “, quis ele com ela convier, como se vivessem em uma Tenda, tal qual uma casa de chá, para ali poderem ter Paz, ter Luz, e “ ELA “ como uma SHERAZADE, trocarem conversas, para que ultrapassassem as “ Mil e uma Noites “, mas não te -la como uma odalisca, muito pelo contrario, que para sempre “ELA “ fosse a única e ele único a ela, compartilhando, gentileza, compreensão, intimidade, honestidade, lealdade e tudo mais que é inerente a uma boa relação, mas tudo isso era o que ele sentia, era o que ele idealizou, mas não a sensibilizou, e do nada, e sem saber por que, tudo acabou, e então ele percebeu, que tal qual o Tapete Voador, por ser magico, o “ OASIS “assim também o era, assim como “ELA “, e tudo se dissipou, pois por se magico era ilusório.

E agora, o Tapete Voador, ainda existe, e ainda o leva para Lua, para de lá, onde tudo é silencioso e claro, ele fica a admirar a Terra, para imaginar “ ELA “ , como esta, e por quem esta, e sem a vergonha que homem nenhum deve sentir, por mais que isso incomode quem quer que seja, ele, ainda chora esse viagem que por ter sido tão Magica, enebriante, deslumbrante, emocionante, ter ele agora guardado em seu coração “ ELA “ a mais dileta, no Amor mais doído, pela duvida que ficou se realmente “ ELA “ em algum momento por ele algo sentiu.

Mas o Tapete Voador, agora repousa na sala dele, e sabe se lá, que viagens ira fazer, mas por outro “OASIS “ é melhor nem pensar.

M A. Tisi

( 04/10/2012 )   

sábado, 29 de setembro de 2012

A " GELADA " SUAVA E EU CHORAVA


A “ GELADA “ SUAVA E EU CHORAVA


Sentei numa mesa de bar,
e uma cerveja bem gelada
resolvi tomar.

A garrafa estava tão gelada,
que ela até “ suava “.
e enquanto isso eu chorava.

Chorava pela tua saudade
intensa, dessa tua ausência,
que intensificava, de você,
minhas reminiscência.

E ao sorver o primeiro gole,
percebi que você não estava ali,
para lhe dar a precedência
para brindar nossa convivência.

E sentado ali sozinho,
percebi minhas mãos frias,
em virtude da ausência
de tuas mãos tão quentes
e macias.

E senti meus lábios frios,
porque você não estava
ali, para que te desse um
beijo carinhoso e caloroso
em teus lábios tão briosos.

E sozinho ali naquela mesa de bar,
pude notar, que não tinha você lá
para comigo conversar,
aquele papo tão gostoso,
que tínhamos para nos tornar
tão amorosos .

A “ gelada “ suava e eu chorava,
pois tua saudade é intensa,
e mesmo agora que já faz um ano
que tudo terminou, e por mais que
você venha a me odiar,
para sempre vou te Amar,
por mais que você não queira acreditar.

M . A. Tisi
(29/09/2012 )  

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

PRIMAVERA QUE SE APROXIMA


PRIMAVERA QUE SE APROXIMA


Agora que ela se aproxima,
se aproxima a Primavera,
que a partir dela,
eu me renove e me acalme.

Primavera que se aproxima,
que depois de toda essa crueza
porque passei,
possa minha vida ter mais beleza.

Primavera que se aproxima,
que depois de toda essa desilusão,
porque passei,
possa minha vida ter mais expressão.

Primavera que se aproxima,
que depois de toda a tristeza,
que ainda tem a me martirizar,
possa minha vida ter Paz para não desmoronar.

Primavera que que se aproxima,
que depois de todo esse desamor,
que inconsolável eu recebi,
possa minha vida não se transformar em amargor.

Primavera que se aproxima,
que apesar de tudo que me aflige,
possa minha vida não deixar,
que das minhas Poesias eu desiste.

Primavera que se aproxima,
venha linda, venha pura,
e com toda sua singela,
me traga a cura,
pra minha alma abatida,
pro meu coração inconsolável,
e não deixe que me petrifique,
que me torne insensível,
muito pelo contrario,
e que no meu Coração,
eu ainda guarde, o mais puro,
o mais emocionante,
Amor impossível,
e só por mim compreensível.

M . A. Tisi

( 21/09/2012 )  

domingo, 16 de setembro de 2012

AVÔ POSTIÇO


AVÔ POSTIÇO

Faz cerca de um ano, que fui Avô Postiço,
tive um casal de netos lindos e castiços,
ainda bem, pois nessa função era noviço.

Foi uma experiencia única,
fui palhaço, fui amiguinho,
despertou em mim Amor que não conhecia,
Amor de Avô Postiço,
pra voltar a ser criança,
pra rolar no chão,
fazer bola de sabão,
em suma a maior diversão.

Casal de netos lindos,
não pela beleza exterior,
as quais eles possuem.
Mas, por serem crianças
tão meigas e singelas,
por isso mesmo tão belas.

Mas agora, que já se passou quase um ano,
já não sou mais Avô Postiço,
e infelizmente, nem um beijo de despedida
pude eu dar, não tive essa concessão,
e sabe se lá, o que a eles foi dito,
sobre essa situação.

Mas eles são crianças, são inocentes,
são ingênuos, assim como ingenuo eu fui,
mas eles serão para sempre meus netos postiços,
estão em meu coração, e de mim para eles,
só tenho bons pensamentos,
sei que deles não tenho nenhum julgamento.

Mas foi bom , foi muito bom,
ser Avô Postiço, daqueles dois,
eles são inesquecíveis,
são para mim, por demais sensíveis .

Talvez um dia, num acaso qualquer,
possamos nos encontrar,
e então vou torcer para que mim
eles possam se lembrar.

M . A. Tisi
( 16/09/2012 )

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

AREIA QUE CANTA


AREIA QUE CANTA

Naquela praia paradisíaca e deserta,
onde só eu estava, te fiz uma poesia,
que gravei na areia que cantava,
enquanto os versos para você
eu rascunhava.

Eram versos de muito Amor e Dor,
versos elaborados com lagrimas tristes,
onde queria traduzir esses meu Amor por você,
onde minha alma insiste em te saudar.

E no galho fino, feito um “ Anchieta “ solitário,
aproveitando o canto da areia, cravava a Poesia,
toda cheia de ardor, toda cheia de saudade,
pela nossa incapacidade de um dia nos tornar
realidade.

Areia que canta, quando caminho,
pela minha emoção, ao fazer os versos
do meu Amor por você,
que se diluíram, quando a maré alta chegar.

Maré que ira levar os versos doloridos,
que para você eu fiz com ardor e Amor,
versos feitos ao som da Areia que canta,
canta o meu lamento da tua perda,
canta a tristeza da tua ausência.


E agora caminho pela praia,
onde tem a areia que canta,
e eu com ela canto também,
um canto gostoso e harmonioso,
das boas lembranças que contigo convivi,
e ter a certeza que por você todo o meu Amor,
que você não mais quis,
no canto da areia eu pude saber que com você,
por um tempo fui de todos, o mais Feliz.


M . A. Tisi

( 12/09/2012 )

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

RAPSÓDIA LIGEIRA



RAPSÓDIA LIGEIRA


Agora no meu imaginário sou um pianista,
tocando uma Rapsódia Ligeira, bem faceira,
mas suave e com bastante melodia,
para aplacar minha melancolia.

Rapsódia Ligeira, pra que a minha mente clareia,
e lembrar que também teve muito que valeu
pelo despertar da centelha.

Rapsódia Ligeira, que pulsa meu coração,
ainda pela emoção, que é só minha,
e por incrível que pareça ainda causa adrenalina.

Rapsódia Ligeira, e pelo triste final de nos dois,
ainda sonho acordado com tudo,
com que não tem mais volta, e as vezes, por isso,
me revolta.

Rapsódia Ligeira, suave e faceira,
que me carrega pelo meu imaginário,
desse meu Amor sofrido,
que melhor seria se não tivesse acontecido.

Rapsódia Ligeira, que toco como se fosse um solista,
num concerto esplendido, como se tivesse tocando
pra ela, ela que não já não existe mais,
porque nunca existiu, foi um sonho meu,
é o meu sonhar sozinho, e que no fim
virei um estranho no ninho.

Rapsódia Ligeira, que me leva pra Lua cheia,
onde carrego minha candeia,
para procurar a chave da cadeia que virou minha mente,
para que possa me livrar dessa amargura,
que me machuca incessantemente.


M . A. Tisi

( 03/09/2012 )


" Poesia é antônimo de censura "

Sara Meynard