Translate

domingo, 22 de junho de 2014

INVERNO


INVERNO

Chegou o Inverno,
to aqui nessa cama fria,
acho que queria um
colo Materno.

Abro meu caderno virtual,
pucho uma pagina digital,
começo essa Poesia
com uma letra Arial.

Penso como faço Poesia,
nem sei se Ela tem métrica,
se terá alguma réplica,
só espero que Ela não seja tétrica.

Já evito falar de Amor,
dele já desacredito,
é um sentimento que não existe,
mas que faz doer e causa dessabor.

Amor, é feito aquele ditado castelhano
«No creo en brujas, pero que las hay, las hay»
acho isso verdadeiro,
melhor evitar algum engano.

Prefiro Poetar o cotidiano,
um pouco do Social,
só espero não ser profano.

O Inverno chegou,
vou deixar minha barba crescer,
pra um ermitão parecer,
e as vezes umas Poesias fazer.

Marco Aurelio Tisi
( 22/06/2014 )


Um comentário:

  1. Belíssimo poema. Meus aplausos. Seguindo seu blog. Lindo dia.

    ResponderExcluir

" Poesia é antônimo de censura "

Sara Meynard